Um brinde aos seus olhos

Beleza que embriaga

Nicolas Cage, em Leaving Las Vegas (Despedida em Las Vegas)

Embriagar-se de prazer, beber até a última gota, atingindo então, um estado irreversível de inconsciência e debilidade emocional.

E ainda assim, estar acordado para ouvir e sentir e gemer…e deleitar-se com o gosto que permanece nos lábios e purifica a ponta da língua.

Pedir mais e provar que já não há mais capacidade de discernir entre o certo e o errado, entre o grito e o beijo.

Morrer…por alguns minutos. Chorar…de êxtase. Pensar que a luz que cega a visão é somente parte da festa e repetir incansavelmente “estou bem”, querendo mais e mais e mais e mais…

Ser nada, ser nada sempre. E o sempre é nunca. E o nada é muito, e a casa voa, e o chão se ergue, e tudo cai, e eu tenho medo, caio também.

Voltar a si. Voltar a tudo. Lavar os copos, lavar o rosto. Ver tudo reto: o céu azul, o canto fúnebre, as gavetas fechadas. O filme acabou. Aperto stop, seguir a vida. Morrer de tédio nessa cidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s