O que eu detesto

Recentemente lancei um post no face com a seguinte pergunta: o que vocês acham que eu detesto? Tratava-se de uma TAG, a convite do meu querido Marcelo do blog Patriamarga, e muitos opinaram. Cada resposta suscitava em mim uma exclamação muito íntima do tipo “nossa, isso realmente é péssimo!”. Entretanto, mais do que enumerar sentimentos e atitudes capazes de despertar o ódio em alguém, a exposição me trouxe um questionamento crucial: é saudável carregar tanto de tudo isso dentro de si?

Detestar      Odiar          Desgostar

Aversão      Inimizade    Repulsão

Psicopatia

1)    Hipocrisia

“O amor está mais perto do ódio do que a gente geralmente supõe. São o verso e o reverso da mesma moeda de paixão.” (Érico Veríssimo)

2)    Mi mi mi

 “Hate is a train
That thunders aimless through my head.” (Metallica – Hate train)

3)    Barata

“Não odeies o teu inimigo, porque se o fazes, és de algum modo o seu escravo. O teu ódio nunca será melhor do que a tua paz.” (Jorge Luís Borges)

4)    Aranhas

“With such confusions
Don’t it make you wanna scream?” (Michael Jackson – Scream)

5)    Vida sem vida

“Lost inside my sick head
I live for you, but I’m not alive
Take my hands before I kill
I still love you, I still burn.” (Alice in chains – Love, Hate, Love)

6)    Música ruim

“O ódio pega como planta que se rega, mas no peito que navega a pessoa fica cega.” (Tom Zé)

7)    Monotonia

“O ódio é o prazer mais duradouro; os homens amam com pressa, mas odeiam com calma.”(Lord Byron)

8)    Cobrança

 “I like to tear things down than build them up, It’s easier that way.” ( The Offspring – Cool to hate)

9)    Desamor

“O olhar de quem odeia é mais penetrante do que o olhar do que o olhar de quem ama.”(Leonardo da Vinci)

10)           Erros de português

“Um pouco de desprezo economiza bastante ódio.” (Jules Renard)

11)           Mentira

 “Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso da loucura.” (Guimarães Rosa)

12)           Gente fake que alardeia verdades absolutas

“Não levo ninguém a sério o bastante para odiá-lo.” (Paulo Francis)

13)           Falsidade

“Nada une tão fortemente como o ódio – nem o amor, nem a amizade, nem a admiração” (Tchekhov)

14)           Mau humor

“Creio no riso e nas lágrimas como antídotos contra o ódio e o terror” (Charles Chaplin)

15)           Falta de esforço

“There’s a thin line between love and hate
Wider divide that you can see between good and bad” (Iron Maiden – The thin line between love and hate)

16)           O óbvio

“We can make this hate stop
Now don’t you want to rise up?” (Jamiroquai – Give hate a chance)

17)           Gente negativa

“O que não faz parte de nós não nos perturba.” (Herman Hesse)

18)           Ingratidão

“Quanto menos é o coração, mais ódio carrega” (Victor Hugo)

19)           Gente chata

“Não há nada mais tenaz que um bom ódio” (Machado de Assis)

De tudo que foi citado, nem as baratas e aranhas eu consigo odiar, pois o pavor que tenho delas é tão gritante que não correria o risco de causar nelas nenhum ideal de vingança contra mim, ao oferecer a elas emoções tão negativistas. Claro que ingratidão, mimimi, falsidade, hipocrisia, viver por viver, tudo isso incomoda demais. Cobrança exagerada então me faz querer fazer as malas e partir, e erros crassos de português doem como estaca alojada no coração.

Mas…definitivamente…ódio..detestar…nada disso cabe por aqui.

“Não vá dizer que estou ficando louco
só porque não consigo odiar ninguém.”
(Engenheiros do Havaí)

 

Tag Cheia de Histórias

women-419932_960_720

Mais uma TAG a ser respondida, dessa vez com um aroma diferenciado: o Marcelo do blog Patriamarga me indicou para responder às dez perguntinhas dessa TAG, com a sugestão de que o fizesse de uma forma incomum, com ideias e histórias.

Pois bem. Seguem as minhas respostas, da forma que eu consigo fazer (evasiva, fazer o quê…?).

 

  1. Qual sua maior inspiração para escrever?

Ela vem. Começa bailarina, com seu passo harmonioso, sem remate, doida para saltitar à luz da lua. De repente pára, questiona. É interpelada. Não sabe se fica, se prossegue. E vira tempestade, com raios súbitos. Quem a trouxe? Alguma dor que não se acaba? Algum amor que nem existe? A constatação de que as adjacências podem ser diferentes? O que sei é que ora graciosa, ora tumulto, ela será bem vinda. Ela, a ideia. Continuar lendo

Tag SCARLET MOON BLOGGER AWARD

question-mark-1084522_960_720

Fui indicada pelo Marcelo Raymundo do blog Patriamarga (que eu sigo desde o meu início aqui na blogosfera) a responder essa tag com três perguntinhas. Além do respeito e admiração que tenho por ele, essa tag vai em homenagem a “vó” dele, cuja máxima é “Se você tem uma Tag para responder, então, responda logo! Porque, com certeza, vai esquecer”.

  • Qual é a sua maior qualidade?

Minha maior qualidade é ser eu mesma. Hmmmm, acho que essa resposta caberia bem numa pergunta “qual é o seu maior defeito?”. Mas vamos fingir que está tudo bem e seguir adiante…

  • Como lida com a solidão? Fez ou faz parte de sua vida?

Como eu já lidei com a solidão: chorando, fazendo terapia, escrevendo, reclamando, curtindo a solidão em tom derrotista. Hoje não deixo a solidão me abater…lido com ela como quem lida com uma amiga que vem fazer companhia de vez em quando: dialogando com ela.

  • Já abriu mão de algum sonho?

Sim! Já abri mão, já retomei a luta, já enganei os sonhos, dei uma fingida que não eram importantes, já esqueci.

Para fugir à regra, desafio algumas pessoas a responderem essa pergunta nos comentários ou em seu blog.

Você já abriu mão de um sonho por conta do excesso de solidão que estava sentindo?

 

O próprio Marcelo, do blog Patriamarga

Claudio, do blog Unobtainium

Sílvia, do blog Reflexões e Angústias

Ju Lima, do blog Fabulonica

Lucas palhão, do Blog do Palhão

Gustavo, do blog Gustavo Roubert

 

Prêmio Dardos

premiodardosblogaward-2

Escrever tem me surgido com uma sucessão muito sortida de significados, com palavras que se rodiziam: arte, ofício, inevitabilidade, obstrução, resolução, terapêutica e até silêncio e bloqueio quando vem à superfície o não escrever.

Forma de expressão sim, só que, mais do que tudo, a comunicação com o outro tem sido a prioridade e estou na primeira aula, tentando entender o que quero e preciso dizer e o que o outro precisa que seja lido, ouvido, sentido.

Fui indicada para esse “Prêmio Dardos”. Explicação:

O Prêmio Dardos é uma espécie de selo virtual criado em 2008 pelo Escritor Alberto Zambade, autor do blog Leyendas de “El Pequeño Dardo” El Sentido de las Palabras. Ele selecionou e indicou o selo a quinze blogs, que ele considerou merecedores do prêmio, os quais também indicaram outros 15 e assim sucessivamente, criando uma imensa corrente na internet.

O objetivo do Prêmio Dardo é reconhecer os esforços de blogueiros, a cada dia, para transmitir princípios culturais, éticos, literários, pessoais, etc., em suma, manifestando sua criatividade através de seus pensamentos, presentes em suas palavras e textos.

Regras do Prêmio Dardos

Ao recebermos o selo, precisamos seguir algumas regrinhas básicas:

  • Indicar os blogs que preencham os requisitos acima para receber o prêmio;
  • Exibir a imagem do selo;
  • Linkar com o blog de que recebeu a indicação;
  • Avisar os blogs escolhidos

Quem me fez essa indicação foi a Silvia Souza do Reflexões e angústias, que é atualmente o blog que eu mais leio. A Silvia dá uma chamadinha na gente para uma reflexão descompromissada, um saudosismo latente, com uma abordagem existencialista de todo e qualquer assunto, geralmente, assuntos que parecem ter pedido para serem ditos. Além disso, suas citações já fazem parte dos meus dias e acho interessante também esperar pelos seus comentários sobre livros que ele gosta. Enfim, Silvia, agradeço a você a indicação, os comentários e por estar sempre tão presente nesse meu processo de entendimento da linguagem, muito obrigada. Te “indico” da mesma forma a esse prêmio.

Prefiro citar os blogs que tenho lido e admirado com frequência, sem a convenção do Prêmio: Reflexões e Angústias (saliento), FabulônicaO ponto afinalPitacos e AchadosCasuismoMeu Espaço Literário. São páginas e pessoas que me inspiram e me ensinam, e cada post precisa ser lido, pois vale muito!

E é isso aí.

 

TAG: descobrindo novos blogs

novos blogs

Fui indicada pelo Marcos Plymouth do blog Escrevendoor para responder perguntas dessa TAG.

Regras:

  • Agradecer a quem te indicou.
  • Responder às perguntas.

  • Indicar até 10 blogueiros para responder à TAG, criando 10 perguntas para eles.

  • Avisá-los da indicação.

Vamos às perguntas e respostas, confesso que as primeiras quatro perguntas me pegaram de jeito, Marcos, tive que deixá-las por último para entrar no ritmo, difícil, hein?! Mas esse desafio me fez muito bem. Continuar lendo

Sacarlet Moon Blogger Award

premio_scarletmoonlogo

Fui indicada pelo Kambami para responder uma pergunta dessa TAG:

O que mais te interessa na blogosfera, em relação as matérias?

O que me pega mesmo, faz parar para ler, mesmo que eu esteja fazendo dezenas de outras coisas ao mesmo tempo, são textos autorais, não só por distração, mas para conhecer melhor o outro. Não é isso, Kambami, conhecendo e aprendendo?! Obrigada, obrigada e obrigada pela indicação.

Como escreveu Fernando Sabino, “A convivência é feita também de silêncio, e distância.”

E aos seguintes blogs:

Fabulonica20 minutos atrasado para ser quem eu souO eu insólitoPatriamarga,  Casuismo e Reflexões e Angústias.

estão convidados a responder às seguintes perguntas, inspiradas em Clarice Lispector:

  • Qual defeito sustenta seu edifício inteiro?
  • A força dessa diva estava na solidão. E a sua, onde reside?
  • Qual é um grande acerto de sua vida que tenha nascido de um erro?

Abraços.

Sisterhood of the World Bloggers

sisterhood

Fui indicada pela Silvia Souza do Blog Reflexões e Angústias para essa TAG, onde responderei a algumas perguntas. Demorei, Silvia, porque ô treco difícil esse de falar de mim mesma!

As regras da TAG são:

  • Insira o logotipo da Tag;
  • Agradeça e marque o Blog que te indicou;
  • Responda dez perguntas;
  • Indique dez blogueiros e avise-os;
  • Crie dez novas perguntas para os indicados.

Continuar lendo

Bloggers Recognition Award

espelhos

“Supor é bom – descobrir é melhor.” Mark Twain

Vou contar uma história curta: era uma vez uma mocinha tímida que usava todas as desculpas que encontrava para escrever: carta pra amigo, tropeçar numa pedra, olhar para o nada, olhar para si, solidão, os outros…e mantinha uma porta bem trancada para o mundo lá fora não encontrá-la, não adentrar seu espaço. Continuar lendo

Tag: Uma música que…

images (1)

Fui indicada por Eurico Gomes para essa tag sobre música, o que me foi algo muito interessante. A idéia era responder às seguintes perguntas:

  • Uma música que te faça ficar com vontade de dançar
  • Uma música que faça com que você se sinta apaixonada
  • Uma música que lhe proporcione determinação
  • Uma música que faça com que você se sinta em um clipe
  • Uma música que você escuta até enjoar e falha
    miseravelmente em enjoar

Estão todos esses elementos no texto, só que ao meu modo, identifiquem se puderem

Convido os leitores do blog a completar suas opções nos comentários!

Ela era assim: cantava até desfazer-se do ar presente em seus pulmões, alimentava-se de música, madrugada adentro, escrevia letras, enfrentando seus próprios segredos e dançava nua e incandescente, supondo desmanchar-se em faíscas. Continuar lendo