Duetos: Não me calo

silhouettes-1243746_960_720

Criei esse espaço “Duetos” para deixar eclodir a vontade de conhecer o outro, de desafiar-me a novas formas de escrita e para me aproximar daqueles que cultivam as palavras como companhia predileta, sejam escritores, devaneadores ou parceiros na vida que gostem de traduzir em verbos suas sensações.

O resultado está me trazendo um contentamento místico e a certeza de que escrever é o que quero fazer para o resto da vida.

A parceria de hoje é com o querido Cláudio El-Jabel, ou Kambami,  do blog UNOBTAINIUM, uma pessoa absurdamente expressiva, que se define como um “observador nato desde minha aparição”.

A fra94d6b43371c004dc3ccad9484d797457se de sua vida é “Quode natura date, Nemo negare potere (O que a natureza nos dá, não podemos negar)”.

Bom, o Cláudio aceitou esse desafio junto comigo e passamos semanas a descobrir que ponto abordar. Queríamos criar um diálogo da mente consigo mesma, em suas contradições e contestações, como alguém que instiga a si mesmo e reflete sobre suas dicotomias. Eis que surge um texto dele chamado “Ego” que era tudo que precisávamos desenvolver. E o resultado segue abaixo, cuspido (foi escrito muito rápido) e acho que, mesmo distantes, conseguimos nos misturar e fazer parte, os dois, da mesma consciência.

Cláudio, agradeço a você a disponibilidade e a firmeza em entrar nessa comigo. Segue o texto abaixo, convido a todos a uma leitura com a alma, puxem suas cadeiras e sentem-se. Continuar lendo

Duetos: A boneca esquecida

silhouettes-1243746_960_720

Mais um encontro para a série “Duetos”, oportunidade criada para deixar eclodir a vontade de conhecer o outro, de desafiar-me a novas formas de escrita e para me aproximar daqueles que cultivam as palavras como companhia predileta, sejam escritores, devaneadores ou parceiros na vida que gostem de traduzir em verbos suas sensações.

Fer e eu (2)Hoje a parceria é com Fernanda Camargo, que além de ser minha irmã, é Doutora em Matemática, leitora voraz e cúmplice na tarefa de viver. A máxima de sua vida é:

“A maior felicidade é quando a pessoa sabe porque é que se é infeliz” (Dostoiévski)

 

O texto que escrevemos juntas Continuar lendo

Duetos: Eu em mim

silhouettes-1243746_960_720

Mais um encontro para a série “Duetos”, oportunidade criada para deixar eclodir a vontade de conhecer o outro, de desafiar-me a novas formas de escrita e para me aproximar daqueles que cultivam as palavras como companhia predileta, sejam escritores, devaneadores ou parceiros na vida que gostem de traduzir em verbos suas sensações.

11694930_1108705445816557_8595821295550226573_nDessa vez, a colaboração é da Kika Lima, amiga, parceira de vida e alma, que topou responder às perguntas e delirar um pouco junto comigo. Como ela é o tipo de pessoa que dispensa definições, teria que conhecê-la para entender, deixo aqui a frase que norteia sua vida:

“Liberdade é pouco, o que eu quero ainda não tem nome”
(Clarice Lispector)

Partimos de uma imagem ao espelho, com a ideia de reconhecer-se ali, um alguém que não estava acostumado a olhar para si. O resultado pode ser conferido aqui:

EU EM MIM

girl-1312899_960_720

Ei, chegue mais perto.

Era minha voz que soava imperativa mas longínqua, em alguma minúcia do quarto que eu ainda não percebia. Oh, não, será que ousei partir e esqueci de me findar? Eu que Continuar lendo

Duetos: A-DOR-AR

silhouettes-1243746_960_720

Criei esse espaço “Duetos” para deixar eclodir a vontade de conhecer o outro, de desafiar-me a novas formas de escrita e para me aproximar daqueles que cultivam as palavras como companhia predileta, sejam escritores, devaneadores ou parceiros na vida que gostem de traduzir em verbos suas sensações.

O resultado está me trazendo um contentamento místico e a certeza de que escrever é o que quero fazer para o resto da vida.

Começaremos com ele, o escritor Hang Ferrero, autor do blog O Ponto Afinal, cujos poemas tem feito a diferença nos meus dias. Roubo da sua página essa sublime descrição: Continuar lendo