A viagem

barco

Não sei qual é o destino que esse barco segue. Sei que ele é muito pequeno, e muitos dos navegantes não aguentam as contínuas tempestades e acabam desistindo da viagem, de tudo. Jogam-se ao mar, e quem fica torce para que encontrem seus caminhos. Quem fica, muitas vezes fica só. Segue as ondas, sorri para a lua, canta à saudade, chora por essa solidão. Espera pacientemente que o barco chegue a algum lugar e que esse lugar não seja uma terceira margem.

Viagem

despedidaUm sopro de verão traz de volta as curvas
de uma estrada que se parte
em atalhos cinzentos.
Labirinto…
em que os sons são palavra,
e as barreiras são dúbias;
onde o não é saudade,
e seu sorriso, poesia.
Mais do que a música no pause
mais do que uma paisagem despovoada.
E eu procurei seu retrato,
jogado na lembrança,
mas só havia seu nome,
sem autorização e sem drama.